quarta-feira, 6 de setembro de 2006

Base das Lages – 55 anos depois

Apesar da oficial neutralidade de Portugal durante a Segunda Guerra Mundial, Oliveira Salazar, a título preventivo, investiu em 1941 na criação da base aérea das Lages (situada na Ilha Terceira, Arquipélago dos Açores), e em 1943 estabeleceu os termos em que seria utilizada pelas forças britânicas (a par de outras bases e portos nos Açores). Ainda neste ano os EUA assumiriam um controlo partilhado com os ingleses e em 1946 (já findo o conflito mundial) os norte-americanos estabelecem um acordo temporário com Portugal de ocupação da base por mais 18 meses.
A 6 de Setembro de 1951, o Governo português, chefiado por Oliveira Salazar, assinava com os EUA o primeiro acordo de utilização da base aérea da Lages pelas forças da NATO. Isto porque, diplomaticamente, os EUA impuseram a sua presença (pois o acordo de 1946 havia já expirado).
A posição atlântica é essencial à defesa dos interesses dos EUA (ou dos países amigos, como Israel...), dela tendo resultado grande parte da operacionalidade da força aérea norte-americana em ambas as Guerras do Golfo.
O que começou por ser uma posição estratégica de interesse vital às tropas aliadas, e um importante contributo à derrota das Forças do Eixo, à margem da oficial neutralidade de Portugal, tornou-se um ponto estratégico de capital importância de que os EUA jamais poderão abdicar.
j.marioteixeira@sapo.pt

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home