sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Bom fim-de-semana!

A todos, e principalmente a si.

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Canção da semana

Continuamos com Diana Krall, com o clássico "They can´t take that away from me", no seu estilo muito próprio.

Por António Marinho Pinto

Não poderia haver quaisquer dúvidas, pois já o havia manifestado antes, inclusive nas anteriores eleições: apoio António Marinho Pinto a Bastonário da Ordem dos Advogados.
Porque a mudança é precisa, com urgência mas também com substância.

Decididamente, adeus

No dia 3o, terão lugar as eleições para os órgãos da Ordem dos Advogados.
Será, não importa o vencedor, um adeus ao actual Bastonário, Rogério Alves. Um adeus que, da minha parte, assumo como de alívio, pois graças ao seu exercício do cargo de Bastonário, que a Ordem dos Advogados se transformou naquilo de que pior poderia, face ao poder político: servil.
Esse servilismo mostrou em acções e em omissões, umas tão graves quanto as outras.
Ainda recentemente se deu o caso, amplamente noticiado pela comunicação social, da aquisição por banda do Instituto de Gestão Financeira e de Infra-estruturas da Justiça de viaturas de luxo.
Noticiou, entre outros jornais, o Diário de Notícias:
"Esta aquisição, executada pelo Instituto de Gestão Financeira e de Infra-Estruturas da Justiça (IGFIEJ) e autorizada por despacho do secretário de Estado adjunto do ministro da Justiça, Conde Rodrigues, está a provocar, segundo apurou o DN, algum mal-estar nos meandros judiciários, nomeadamente nos tribunais, uma vez que são constantes as queixas da falta de dinheiro para a compra dos materiais mais básicos.
Por outro lado, os magistrados do Ministério Público recorrem normalmente à Polícia Judiciária para conseguirem uma viatura quando necessitam de realizar uma diligência. Neste panorama de carência, um dos contemplados com um novo carro de alta cilindrada foi o presidente do IGFIEJ, com um Audi Limousine 2.0TDI, de 140 cavalos. Esta viatura, sem o IA, custou ao Estado 38 615,46 euros, com 2831 euros de equipamento opcional, nomeadamente caixa de 6 CD, computador de bordo a cores, sistema de navegação plus, sistema de ajuda ao parqueamento, alarme e pintura metalizada.
Antes, João Manuel Pisco de Castro tinha ao seu dispor um outro Audi A6, com motorista de serviço, e um Peugeot 404, que conduzia pessoalmente. Estas viaturas tinham sido adquiridas em 2003. Mas também quatro Volkswagen Passat Limousine 2.0TDI - 34 257,40 cada -, foram para o Ministério: um para o gabinete de Alberto Costa, outro para o secretário de Estado João Tiago Silveira, outro para Conde Rodrigues, e o último para a secretaria geral".
Ora, aquele mesmo Instituto tem 8 funcionários que são pagos pela Ordem dos Advogados, com o dinheiro das quotas que todos pagam, com o dinheiro que todos os candidatos à advocacia pagam para ingresso no estágio, para fazerem o trabalho que competia ao Estado: processar os pagamentos que são devidos aos advogados pelos serviços que prestam em sede de Apoio Judiciário.
Pior, recentemente veio o Bastonário Rogério Alves, fazer propaganda pelo Governo, como se pode ver aqui.
Este é só um exemplo do que foi o estilo do Bastonário Rogério Alves, e daquilo em que transformou a Ordem dos Advogados. E por isso, desejo que este seja um adeus definitivo, acima de tudo, ao estilo e à postura, por uma Ordem dos Advogados verdadeiramente independente e de pensamento livre.

Alma lusa

"Tomar o recado na escada": não prestar a devida atenção ao que se escuta.

Perspectivas [Pão de Açúcar]

Como anunciado, aqui temos um breve apontamento do espectáculo da chegada da noite Carioca, que se assiste do alto do Pão de Açúcar:



Para a próxima edição, vamos ao teatro. Mais precisamente ao Teatro Municipal do Rio de Janeiro.

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Alma lusa

"Filho das ervas": filho de pai ou pais incógnitos, criança enjeitada, pessoa de origem humilde.

Perspectivas [Pão de Açúcar]

Final de tarde de inverno, Rio de Janeiro.
Objectivo: tomar o bondinho rumo ao Pão da Açúcar.
Primeira etapa:

Já no ar, e a chegar ao Monte da Urca, onde se faz escala:

Primeiras vistas, com o famoso Bairro da Urca em destaque:

Rumo ao Pão de Açúcar em mais uma viagem de bondinho:

Uns para lá, outros para cá:

As vistas do Pão de Açúcar, em fim de tarde com nebelina carioca

Para a semana, iremos apreciar a transição de luz da Cidade Maravilhosa: do pôr-do-sol às luzes eléctricas, vistas do Pão de Açúcar:

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Aviso à navegação [actualizado]

Aos prezados leitores e visitantes em geral: este blogue regressa às publicações a 26 de Novembro.

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

Bom fim-de-semana!

Porque hoje não dá mesmo para mais.

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Fado

O desemprego, ao contrário do prometido, cresce.
O sentimento de insegurança continua, apenas não é tão falado na televisão porque abrandou a onda de assaltos violentos. Abrandou, não acabou.
O novo Tratado Europeu, fundamental que era para a Europa e, por isso, para os europeus, cujo referendo foi prometido, como não é entendido pelos europeus (para além de portugueses também somos europeus, dizem), e pelos vistos também não será entendível - logo de nada vale explicá-lo -,tudo está preparado para o mesmo não ser, afinal, sujeito a consulta popular.
A floresta arde em "incêndios fora de época" e os meios disponíveis - por ser fora de época - não são os necessários. As queimadas continuam, a prevenção notoriamente não existe, e a vigilância também não.
Aos alunos deixou de ser exigida assiduidade para efeitos de avaliação, isto num país de forte abandono escolar e de défice qualitativo escolar - esse sim perigoso.
Altera-se a lei criminal no sentido de se estender a figura de "crime continuado" a quem viola repetidamente o mesmo menor (ou seja pratica um só crime).
Promove-se o não recurso à Justiça, e não resolução efectiva e célere dos litígios.
Enquanto isso, como que à margem do país, no Parlamento, o debate mensal é usado pelo PSD e PS para um espectáculo de ajuste do contas. Debate onde, curiosamente, o grande assunto levado pelo Governo foi a saúde oral.

O atoleiro

Está a vista o resultado de uma guerra iniciada com base em mentiras, ilegal, e sem qualquer estratégia ou sequer sentido. Os EUA fizeram do Iraque um verdadeiro atoleiro, e não sabem como acabar com ele.
Onde andam os defensores lusos da Guerra do Iraque (excepto o Zé Manel, esse sebemos que é Presidente da Comissão Europeia a bem do prestígio português)? Onde estão as soluções para a monstruosidade que apoiaram?
Se há sintoma de fraqueza é não se ser capaz de acabar o que se começa.

Alma lusa

"De escantilhão": de modo repentino e confuso.

Perspectivas [Cascatinha Taunay]

Hoje estamos na Floresta da Tijuca, de onde se retiram estes breves apontamentos da Cascatinha Taunay, cuja história se encontra devidamente assinalada:




E aqui está ela:
E para quem queira saber um pouco mais acerca dela:
Na próxima edição, iremos até ao Morro da Urca, seguindo para o Pão de Açucar.

segunda-feira, 5 de novembro de 2007

Actualização

Foi actualizada a lista blogues.

Aqueles que se encontravam inactivos foram removidos para o arquivo.

Na secção "Os seis sentidos" foram introduzidos:

Câmara Corporativa

Entrou para a lista de blogues o seguinte ilustre:

Descredito

Coisas giras

Viagem no tempo.

Quando o referendo interessa, há que cumprir promessas eleitorais. Assim foi, e bem, a propósito da IVG ir a referendo, não se aceitando a proposta do PCP em resolver o assunto no Parlamento dada a maiorio absoluta socialista e o apoio dos comunistas e do BE.

Estava prometido, logo havia que se cumprir.

Já quanto ao referendo ao novo Tratado Europeu, já tudo serve para quebrar a promessa política. Mas serve mesmo tudo, até dizer que as pessoas não sabem o que vai ser referendado.

E como as pessoas não sabem verdadeiramente o que é isso do Projecto Europeu, porque não houve, nem há, classe política que se tivesse preocupado em explicar (tenho dúvidas que muitos sejam sequer capazes de tal) - tudo se resumindo a dinheiro vindo de fora e ao abate de barcos ou de árvores de fruto -, há que evitar que a plebe se pronuncie sobre aquilo que é coutada da elite.

E ainda dizem que os tempos mudam...

Já não é de agora

Não percebo tanto espanto com as declarações do actual PGR acerca de ser escutado. Já Cunha Rodrigues tinha um microfone no seu gabinete cuja origem nunca foi devidamente explicada.

Culto da desgraça

Ao assistir aos nossos telejornais, a ideia que fica é que neste país, além de futebol, só temos gente a provocar incêndios, a provocar acidentes nas estradas, pedófilos, desgraçados e afins.
É raro noticiar-se os prémios internacionais que são ganhos por músicos ou inventores. Saber-se o que de melhor se faz por cá.
Há, claramente, um culto de desgraça que só serve para destruir a nossa já fraca auto-estima, e para reduzir os nossos horizontes, minimizá-los.
Porque tão grave quanto a ambiental, a toxidade da informação também deveria ser combatida.

Alma lusa

"Pedra de escândalo": coisa ou pessoa que motiva protesto, indignação ou ofensa.

Perspectivas [Cristo Redentor]

Aqui vamos nós rumo ao Cristo Redentor, tomando o trem, onde não faltam avisos...

... onde se sobe e se cruza...

... e donde se contempla:

Após a chegada, esta é a primeira perspectiva do Cristo Redentor...

É preciso caminhar em redor até se ser digno de se contemplar o seur rosto:


No seu pedestal, uma pequena capela...

... e em seu redor as magníficas vistas...

... aqui numa visão mais dinâmica:
video
E, para quem se interessa pela História:

Na próxima edição, continuaremos pelo Rio de Janeiro.